Ivan Jubert Guimarães
12/11/2010


Quando a lembrança de ti tornar-se menos forte,
E fizer com que meu corpo sinta menos dores
De um amor que morreu, por falta de sorte,
Eu tentarei conquistar novos amores.


Sei que sou amado por outras mulheres,
Talvez não tão fiéis como tu foste para mim,
Que mesmo se ainda me quiseres,
Elas não serão melhores do que tu foste enfim.


E assim, fugindo de tua lembrança,
Escapando de ti, como criança
Desapareço no meu mundo do faz-de-conta.


E se a flecha do cupido me furar só com a ponta,
Vou deixar que ela atravesse o meu peito,
Pois só sei viver amando, não conheço outro jeito!



Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor