Ivan Jubert Guimarães
06/11/2008


Se de palavras são feitas minha poesia,
E se reclamas que me falta a ação,
Não é, de jeito nenhum, por covardia,
Que não faço o que me pede o coração.


O medo já me fez perder outros amores,
Já fiz juras eternas, nenhuma foi cumprida;
O grande mal do poeta é a falta de pudores
A paixão que dura somente um dia, é sentida.


Palavras, palavras, carregadas de sedução,
Ninguém resiste à voz de um poeta no ouvido,
Pois soa como um hino de amor no coração.


O poeta fala e escreve sempre o que sente,
E mesmo que suas juras nunca tenha cumprido,
Quando fala de amor, o poeta não mente.


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor