Ivan Jubert Guimarães
06/11/2008


Quando teus olhos lerem o que te escrevo
E se umedecerem de emoção ou alegria,
Meus pecados estarão pagos, nada mais devo,
A não ser continuar escrevendo minha poesia.


Mesmo que isto não te baste como gostaria,
Pois talvez prefiras coisas diferentes,
É o que sei fazer e farei todos os dias,
Desculpe-me se isso não te fizer contente.


Teus olhos sempre traduziram teus sentimentos
E não será agora que agirão de outra maneira;
Os conheço bem, desde o primeiro momento.


Espero vê-los negros e reluzindo tanto,
Como os vi em nossa vez primeira,
E deixei-me levar pelo teu encanto.
 



Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor