Ivan Jubert Guimarães
25/10/2010



Talvez chegue o dia em a poesia esteja morta;
É que a violência humana está muito forte,
E a desgraça vive batendo em nossa porta,
Trazendo dores que acabam com nosso porte.


Às vezes parece que o mundo não tem mais jeito;
As pessoas são egoístas e nem pensam nos outros,
É um cada um por si que enche de dor o meu peito,
E sinto que a poesia está morrendo aos poucos.


Os versos que agora estão sendo desprezados,
Já levaram muito amor aos corações enamorados,
Mas, o amor foi substituído por drogas e por sexo.


Fazer poesia hoje tornou-se uma coisa sem nexo,
Não há ouvintes, nem leitores, nem donzela na janela,
Se minha poesia morrer, quero ser enterrado com ela.



Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor