Ivan Jubert Guimarães
16/09/2007


Ah quando te vejo passar nas tardes de verão,
Caminhando livre, solta e descontraída,
Ouço mais forte, as batidas de meu coração,
E tomo um novo gosto por minha vida.


Deve ser a energia do sol em sua plenitude,
Que faz florescer o amor como fosse primavera;
E eu que sempre fui tímido, mudo de atitude
Ao ver que tu és real e não uma simples quimera.


Mas quisera fosse possível eu refrescar teu rosto,
Para que sentiste todo o frescor de uma flor,
E eu faria isso com delicadeza e muito gosto.


Por isso, não temas minha presença tão perto,
Se assim o faço é para que sintas o meu amor,
E quem sabe um dia, tudo possa dar certo!


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor