Ivan Jubert Guimarães

11/08/2015


Este meu coração de poeta
Sofre com o amor perdido;
E se levo uma vida discreta,
Eu me vejo sempre iludido.


Iludido e com futuro incerto,
Na busca definitiva do perdão;
E caminho sem rumo no deserto,
E sinto forte a dor no coração.


Vivo temendo a chegada da noite,
Pois é nela que aumenta a solidão
Que fere a alma como um açoite.


Mas se ela também traz o desvelo,
De dormir aquietando meu cansaço,
Eu sempre acordo com pesadelos!



Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor


Midi: The Power of Love