Ivan Jubert Guimarães
23/07/2012


Minha alma está enfeitiçada,
Não sei e nem imagino por que,
Só sei que a mulher amada
Não quer mais nem me ver.


Já frequentei até terreiros,
Pais de santo e pomba-gira,
Ninguém me salva do cativeiro
Vou recorrer ao curupira.


Quem sabe o pé torto me ajude,
Pois eu já fiz tudo o que pude,
E continuo dando vexame.


Quero acabar com este feitiço,
E ter de novo o compromisso
De amar alguém que me ame!


Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor
 


 

Midi: Feitiço da Vila - Waldir Azevedo