Ivan Jubert Guimarães
29.05.03


Um despertar de sono e mergulhar num sonho;
Uma doce sensação de paz e de aconchego;
Encarando um novo dia com semblante risonho,
Sentindo a todo instante o calmo sabor do sossego.


Na quietude só desfrutada pelos puros,
Vejo-te em vôo alegre e rutilante,
Clareando a penumbra do quarto ainda escuro,
Essa mágica luz azul esvoaçante.


A brisa deixada pelo bater de tuas asas,
Vem acompanhada de um doce perfume,
Refrescando meus desejos inda em brasas.


Já não importando se eterno ou passageiro,
Ao azul desta borboleta de belo lume
Entreguei-me, me desmanchando por inteiro.


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor
 

 

 

 

 

 

LIBERDADE