Ivan Jubert Guimarães
20/02/2013


As nuvens vão se tornando escuras,
E eu, deitado na grama de meu jardim,
Fico olhando para o céu, lá nas alturas,
E tento proteger o perfume dos jasmins.


Começa uma ventania muito forte,
Relâmpagos sibilam por toda parte
Árvores se curvam com todo seu porte,
Caindo suas folhas num imenso descarte.


Ainda deitado banho-me na tormenta,
Tentando lavar meu corpo e minha alma,
Aliviando a dor que tanto me atormenta.


Sinto que choro como o choro de uma viúva,
A tempestade diminui e o céu se acalma,
E me aqueço no sol que brilha com a chuva.



Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor
 

 

Midi: Chuva de Prata