Para José Antonio Jacob

 

 

Ivan Jubert Guimarães
05/02/2011


Por mais que eu tente,
E insista passo a passo,
O coração briga com a mente,
E acabo detestando o que faço.


Procuro escrever com todo sentimento,
Busco rimas diferentes para minha poesia,
Durmo mal acomodado, me falta o talento;
E quando acordo já se vai longe o dia.


Quero palavras que enfeiticem os amantes
Com a magia que transcende minha alma leve,
Mas estou longe disso, muito distante.


Não quero parar de escrever, sei que não devo,
Mas quando leio os sonetos que Jacob escreve,
Sinto vergonha dos sonetos que escrevo!

 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor