SEM MEDO II


O sonho
Que sonha
No sono
Que dormes
Na noite
escura
E fria
provoca
talvez
A saída
Da angústia
Que vives
A vida
vivida
Na Terra.

Espera
Acordar
Então
Resolvido
O dilema
Criado
Na esfera
Maldita
Da dúvida
Do ser
Ou do ter
E aí então
Tu sofres
E choras
Porque
Não crês
Na beleza
E na razão
Da existência
Divina
Que levas.

Afasta
A certeza
Da sina
De que
Pela dor
E sofrimento
É que se abrem
As portas do céu.

Engano, engano, engano,
Ninguém deseja
O choro
Quando é tão doce
O sorrir.
No céu
Impera a alegria.
Acorda
Portanto
De teu pesadelo
E vá com cuidado,
Com todo desvelo,
Ao encontro
De teu ideal.

Cria coragem
Não olha pra trás.
Caminha pra frente
E na tua bagagem
Carrega somente
A boa vontade
Que vai te ajudar
A te superar
Diante de tudo
Que se apresentar
Diante de ti.
Persegue
Teu sonho
Sonha bastante
E não sintas medo
Jamais
De acordar!


29/03/2001




RENASCIMENTO


Enxuga a lágrima de teu pranto,
E põe fim à dor que te afligiu.
Larga de ouvir teu choro e ouve o canto
Da alegria que em teu rosto ressurgiu.


Tudo é resolvido com o tempo;
Tudo que necessitas é paciência.
Foste agraciado com novo alento;
Por que, então, conservas na mente esta dormência?


Desperta de novo para a vida que renasce,
Segue teu caminho com passo mais decidido;
Aproveita teu tempo antes que ele passe,
Evitando que ele se torne perdido.


Se não vives a plenitude do contentamento,
Tampouco estás dependente da tristeza.
Atravessas apenas um mau momento,
Aprecia do mundo toda sua beleza.


Assuma a escolha que fizeste um dia;
Reativa a força que tu manténs escondida.
Afasta o medo que até há pouco tu sentias,
E sinta de novo prazer pela vida.


Começa por gostares mais de ti;
Dá-te um abraço gostoso, bem terno,
E realiza o que vieste fazer aqui,
Há muito deixaste de viver no Inferno.


08/03/2001