Ógui Lourenço Mauri

27/11/2016




Refugiada, mais parece um resto humano
a correr pros rumos do nada, perdida!
Para trás, ficam temor e desengano;
vendo à frente só esperança carcomida.


Traz no rosto toda a imagem do indigente
que perdeu tudo pra ter chances de vida.
Por soberba do abastado indiferente,
tem a face a revelar dor incontida.


Bem distante ficou a terra natal
e, da prole, desconhece o paradeiro.
Tão sozinha, pelo bem e pelo mal;
sem destino, correrá o mundo inteiro.


Os conflitos ideológicos, sem nexo,
incabíveis neste estágio do planeta,
mostram, num mundo difícil e complexo,
trajetórias feitas dum lar à sarjeta.


Se as pessoas ricas têm seu epicentro
na fortuna e sem ações de caridade,
temos que refazer o "homem de dentro",
praticando, com vigor, fraternidade!

 


Ógui Lourenço Mauri

Direitos reservados ao autor



Formatação baseada no trabalho de Walkyria Garcia

Edição da midi: Ógui