Naidaterra


Bendito seja este querer que abriu em
nosso peito um amor amplo e iluminado,
um vasto campo verde aberto ao Sol
que nos entontece...
Ah! este amor que me avassala,
tenho sonhos loucos e a ousadia
da tua fala me desnuda fazendo
do meu corpo, uma fornalha...
O tempo nos açoita não permitindo que
façamos uma tenda aromal com nossos corpos,
longe estão nossos olhares... isso é cruel!
Ah! tempo que nos tira a razão,
a calma e o tão sonhado encontro
que não acontece, será que nunca
beberei o doce vinho da tua boca... será!
Precisamos encontrar um jeito
de enganar o tempo ou,
só nos restará esperar, por um dia,
não sei quando...


Naidaterra

Direitos reservados à autora