Marilena Trujillo
09.07.2007


Vai no teu passo... morte adentro...
Rastros... traços... embaraços...
Masmorras... clausuras... pedaços..
Ah... triste sina a de um palhaço!


Vazio está, teu visceral picadeiro.. vazio!...
Teu humor tantos fez sorrir... gargalhar.
Ah... este teu sorriso débil... imbecil...
Só te fez a vida enganar... destroçar!


Agasalha-te com a lona que restou...
Tua dor... jamais será entendida.
Sangra sem dó... a navalha afiada...
O pouco... que restou da tua vida!


Embriaga-te do último instante...
É tua agora... a esperada cena...
Teu derradeiro instante de glória!
Esmagarás de vez... tuas penas...


Vai... sorri palhaço... sorri!...
A platéia espera... teu melhor!
Tua performance imbecil... brutall
A mentirosa alegria de um sofredor!


Isso!... - Assim palhaço!...
A platéia aplaudindo, se levantou...
Ouve!... Todos se divertem!
Bravo!... - O espetáculo acabou!



Mary Trujillo



Direitos reservados à autor
 

 

 

Midi: Sonhos de um Palhaço - Antonio Marcos