Marcio Gamboa

 

 

O que fazer?

Tantas coisas pra fazer
E outras para resolver

Como vou fazer?

Ando esgotado
E irritado com tanto a fazer
Não sei mais, como vai ser?

E se for normas e dever?
De sobrevivência
E de subsistência,
Trabalho estudo.
Devo
Ater-me ou perder-me?

Pois se não lutar
O que me resta fazer,
Vou meu sonho ver morrer?

Mais se continuar
Alienadamente a buscar
Tudo o que tenho a fazer
Sem descanso, posso morrer?

E se dou uma parada no que fazer
Acabo perdendo a meta
E o foco a empreender.

O tempo meu carrasco
Pois tão curto é
Quando muito tenho a fazer

Carrasco
Por não compreender
Que tenho que parar
Mas que não posso o foco perder.

E que não posso esperar
Pois outro tempo posso não ter

O que fazer?
Se não me desapegar
Do que fazer.

O que fazer?
Se não encontro mais tempo
Para viver

O que fazer? Se
Não posso e
Não consigo parar a
Adrenalina a me impulsionar

Um morto vivo a perambular
Preso a tanto fazer
Que não consigo viver,

Pois tal ativismo encarcerou-me
Em meu ser

O que fazer?
Você pode me dizer?

 

Marcio Gamboa

 

Direitos reservados ao autor