Marcio  Gamboa

 

 

 

Nunca mais escrevi,
Inspiração, cadê a ti?
Nem por ti
Nem por nada
Minha visão turva e nublada
Contempla o abismo de uma mente
Aprisionada
 


Nunca mas me atrevi
A passear pelo romance
Da poesia
Por sua beleza no amanhecer
Na riqueza do entardecer
 


Meu coração
Mergulhado no gelado rio
Da tristeza
 


Minha alma é congelada
Pela Tibieza
 


Sinto falta de ti saudosa inspiração
Sem ti
Sem chance
De poesia e romance
 


Não mais busquei sorrir
Acovardei-me,
Acomodei-me
Da vida quis fugir
 


Na dor e na desilusão,
Meu coração
Amargura e depressão
 


Que em minha alma
Transforma outrora primavera
Em um constante e desolador inverno
Sem inspiração e poesia
A alma de um poeta desce ao inferno.


Marcio Gamboa

 

Direitos reservados ao autor