José Geraldo Martinez
25-5-2012
 


E que me beije a tristeza!
Por quantas vezes eu sorri?
As lágrimas me dão a certeza
de que eu ainda não te esqueci...

E que esta dor seja minha!
Onde enfrento valente, destemido...
Se qualquer presença querida não adivinho
as palavras confortantes de algum amigo.

Tão longa pode ser a noite,
revestida no meu temporal...
Qual chicote que fere o açoite
é de mim a carrasca... afinal!

Salgadas lágrimas...
Que eu beba delas resignado!
A quem jogar minhas culpas,
se eu mesmo sou delas o culpado?

Amei mais que a mim...
Antes não tivesse amado tanto!
Talvez no prenúncio de um fim,
não teria minha alma matado...

Não liguem!
Nem chorem...
Fui eu mesmo o culpado, com certeza!

Disse adeus a quem nunca devia...
É de mim toda culpa, toda dor!
E que me beije a tristeza!


José Geraldo Martinez

Direitos reservados ao autor
 

 

Midi: Memory - Zamfir