Ivan Jubert Guimarães
04/07/2011


Há momentos na vida
Em que sou prisioneiro;
Penso numa partida,
Viajar como pioneiro.


Visitar novos recantos,
Ver novas paisagens,
Ver todos os encantos
De tão ansiada viagem.


Levo a solidão comigo.
E a alma amargurada.
Hei de encontrar abrigo,
Junto da mulher amada


Que espera em algum lugar,
Por mim, cheio de paixão.
Que vai saber me amar
Com toda devoção.
 


Para realizar este sonho
Não posso ficar por aqui
Com este ar tristonho.
Vou ter que sair por aí!



Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor