Ivan Jubert Guimarães
07/06/2007


Já mudei tanto que às vezes nem me conheço,
A diferença é que hoje eu sei quem eu sou.
Se ainda me acontecem coisas que não mereço,
É porque preciso prestar mais atenção para onde vou.


Mudei em muito a minha maneira de pensar;
Mudei também muitas das antigas atitudes,
Já descobri o caminho de onde quero chegar,
E me deixo guiar com o peito carregado de virtudes.


Nessa mudança alguns amigos ficaram pelo caminho,
Outros, muitos outros, se achegaram, no entanto;
Assim, não tenho me sentindo nem um pouco sozinho,
E olhando para a vida eu a vejo com muito mais encanto.


Não sei quanto falta para atingir meu maior objetivo,
O importante é que sinto estar no caminho certo.
E não há nada que me faça desistir, nenhum motivo;
E não interessa saber se estou longe ou se estou perto.


O que conta mesmo é a minha intenção naquilo que faço,
Ajudar por amor e jamais por pena ou compaixão;
Meu interior cresceu e o que não falta é espaço;
Por isso, é que vivo transbordando de emoção.


Viver e trabalhar em função do outro é hoje minha missão.
E como me encontrei, não perdi minha identidade.
Doar uma parte de meu tempo só faz bem ao coração;
E tento distribuir sorrisos levando aos outros felicidade.


Não tenho a pretensão de me tornar santo ou mesmo Cristo,
Mas estou aqui para evoluir e é nele que tento me espelhar.
Por isso, a despeito de comentários, eu não desisto.
Reconheço como sou pequeno, não dá nem para comparar.


Minha meta é ser um cristão, fazendo o que Cristo fez;
Loucura? Pretensão? Ignorância que não tem tamanho.
Pode parecer que ajo assim devido à minha insensatez,
Mas, ao me olhar no espelho, não vejo nenhum estranho.




Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor