Ivan Jubert Guimarães
01/12/2006



Houve um dia
Em que tudo era alegria,
Em que tudo era poesia,
E assim eram todos os dias.

A vida era um brinquedo
Um jogo gostoso de jogar;
A vida não tinha segredo,
Era correr muito e brincar.

Mais longos eram aqueles dias,
Eram tantas as nossas atividades
O tempo todo nosso, nada se perdia,
Não havia tristeza, só felicidade!

A gente brincava sem medo nas ruas,
Pés sujos de terra no chão,
Calção meio caído, costas nuas
Sem medo de doenças, de infecção.

De noite os adultos pegavam cadeiras,
E faziam algumas rodas pelas calçadas,
Para nós eram apenas mais brincadeiras,
E assim nós crescemos, de almas lavadas;

Com a adolescência os primeiros amores,
Muitas paixões, muita ternura.e muita emoção
Mas também deixava suas marcas de dores.
Quando a garota machucava nosso coração.

Até que um dia, independente de nossa idade,
O amor verdadeiro aparece à nossa frente,
Enchendo nosso peito de paz e felicidade,
E não pensamos em nada melhor pra gente.

Casamos e temos filhos que crescem de repente.
E logo a saudade bate forte dentro do nosso peito,
Queremos de volta aquele tempo de antigamente,
Mas o tempo não volta, não tem mais jeito!

Resta-nos viver com a maior dignidade,
Saber que fizemos o certo à nossa maneira,
Isso ainda nos dará imensa felicidade,
Embora tenha acabado a brincadeira.

Houve um dia
Em que tudo era alegria,
Em que tudo era poesia,
E assim eram todos os dias.



Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor