Ivan Jubert Guimarães
08/04/2013


Nós nos amávamos tanto,
Parecia que nunca iria acabar.
A vida nos pregou uma peça,
Que para meu espanto,
Fez-me infeliz à beça
E perdi a vontade de amar.


Minha entrega foi total,
Podíamos ter ido adiante,
E não sei por que o mal
Venceu meu desejo de amante,


Tu poderias ter dito: “fique!”,
Mas preferiu a ação de despejo;
E decidida com muita valentia,
Jogaste-me fora de pique,
Esquecendo-te de que um dia
Éramos amor e desejo,


Eu te amava tanto!
Foste minha melhor escolha;
Mas, no entanto,
Caí como no outono cai a folha.


Passei a ser levado pelo vento,
Dos teus braços perdi meu abrigo,
Hoje choro a viver esta cena
De abandono dormindo ao relento,
Lembrando de quando estavas comigo,
Mas estou só, que pena!



Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor
 

 

Midi: Ninguém chora por mim