Ivan Jubert Guimarães
04/04/2011


Sei muito bem a diferença entre amor e paixão.
Amor é difícil de se definir ou tentar explicar,
É leve e extensível a tudo o que existe.
Já a paixão é coisa de momento
Que causa dor, causa sofrimento
Quando ocorre uma separação.


No entanto se o amor é um sentimento divino,
Ele não pode jamais ser dividido,
Na aritmética do amor só existe a multiplicação,
É fácil dizer eu te amo, muito fácil
E para isso só há uma explicação:
Não é amor, é paixão, talvez até tesão.


Mas como é bom estar apaixonado,
Sentir o peito apertado querendo explodir
Quando vemos o ser amado.
Sentir o rosto pegar fogo,
É como estar num grande jogo
Onde o maior desejo é competir.


É preciso estar perto da mulher certa,
Que seja companheira, inteligente,
Mas sem que seja muito esperta.
A esperteza tira toda a poesia
Que a mulher carrega dentro dela
Mulher tem que ser mulher todo dia.


Feminina como a letra A de amiga,
Ou A de amor, como preferir,
Mulher não pode ser simplesmente
Um objeto qualquer sem valor.
Mulher tem que ser valiosa
Algo assim como pedra preciosa.


A mulher tem que nos fazer sonhar,
Tem que nos provocar os devaneios,
Tem que ter um sorriso mais do que lindo,
Algo que seja de fato encantador.
Tem que ter uma suavidade nos seios,
E estar sempre pronta para o amor.


Ela tem que ser provocante e sedutora,
Ser senhora de si a todo instante,
Isso faz do homem um ser confiante
Por saber que ela é independente,
Que não choraminga pelos cantos
E que aparenta sempre estar contente.

 


Será você esta mulher que procuro?
Da qual desejo o corpo que me seduz
Cujo corpo eu tateio no escuro
Atraído pelo cheiro perfumado,
Que me faz não precisar da luz,
E que me faz assim tão apaixonado?


Quero que meus lábios percorram
O corpo que desejo esculpir,
Quero sentir tua nudez em meu abraço
Ouvir o gemido suave na voz rouca,
Acariciar-te até te fazer sentir,
Minha língua invadindo tua boca.


No calor desta paixão que me consome,
Quero perder-me em tão formosa escultura,
Envolver teus cabelos com meus dedos,
Satisfazer todos os meus anseios,
Encher-te de beijos e de ternura
E descansar no vão perfeito de teus seios.



Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor