Ivan Jubert Guimarães
22/07/2007



Onde é que tu estás?
Não é possível que tenhas partido,
Deixando-me só com o coração ferido.



Onde é que tu estás?
Por que sumiste de minha frente?
Tu que juraste ser minha eternamente.



Onde é que tu estás?
Se te magoei tu podias ter-me dito,
Mas preferiste sumir deixando um amor tão bonito.



Onde é que tu estás?
Não creio que tenhas fugido de mim,
Pois um amor tão grande não pode acabar assim.



Onde é que tu estás?
Como faço para de novo te encontrar?
Volta para mim, pois tua ausência pode me matar.



Onde é que tu estás? Diga-me!
Não posso acreditar que não sentes a falta dos beijos meus;
Tu jamais partirias sem antes dizer-me adeus!




Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor