Ivan Jubert Guimarães
11/11/2011


Eu aqui sozinho na mesa do bar,
Faço do vinho minha companhia, meu par
E a música surge e torna-se minha amante,
E canto como nunca antes cantei, canto bastante.


O vinho, aos poucos, me entorpece
E ao invés da música ouço uma prece
Que faz transbordar os olhos de emoção
Enchendo de contentamento meu coração.


É assim que minha vida triste segue,
Deixo-me levar e o vinho me persegue,
E só ele pode me fazer sorrir;
Então, sorvo mais um gole e sorrio;
Minha alma aquecida não vai sentir o frio.


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor