Ivan Jubert Guimarães


22/02/2018


Agora que estou cada vez mais perto do fim,
Eu sinto minha alma cada vez mais vazia;
As noites de insônia tomaram conta de mim,
Poupando-me do descanso ao final do dia!

A falta de sono afeta muito a minha mente;
Pela manhã me levanto muito cansado,
Incrível o que acontece com a gente,
Sinto dores e meu corpo todo quebrado.

Os dias passam cada vez mais depressa,
E as noites demoram tanto para passar,
O pesadelo chega tão logo a noite começa,
Parece que o relógio se esqueceu de andar.

Eu sei que estou atravessando um deserto,
E sinto que a vida está prestes a acabar,
As noites são de solidão, ninguém por perto,
Eu sei que preciso, mas não consigo mudar.

Sinto que meu corpo tornou-se minha prisão;
Não quero morrer, resta muito para aprender;
Tenho planos, vou cumprir minha missão;
Aproveitar a liberdade e lutar para vencer.

Diante da eternidade ainda sou um menino,
Cada dia que eu vivo pode não ser o bastante.
E nem imagino qual deve ser o meu destino
Para mudar de atitude só preciso de um instante!


Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor

 

Esperamos seu carinho no nosso Livro de Visitas