Ivan Jubert Guimarães
23/07/2012



Para muitos ela aparece somente de dia;
Sua brancura é como se fosse algodão,
Sua textura parece ser muito macia,
Ela traz calma e aguça a imaginação.


Olhando-as em seu movimento lento,
Vejo que no céu passeiam lindas figuras,
E todas são levadas pela ação do vento,
E suavemente se perdem lá nas alturas.


Para mim elas são poltronas dos anjos,
Que ficam brincando de nuvem comigo;
Quando os anjos saem elas escurecem
E eu tenho de correr e achar um abrigo.


É dia de limpeza no céu e aqui na terra;
A chuva cai e molha as plantas na varanda
O raio solta faíscas enquanto o trovão berra;
É a Natureza dizendo quem é que manda.


Mas tão logo passa a tempestade fria,
As nuvens surgem com encantamento,
Chega a noite e termina o dia,
E vejo minha nuvem no firmamento.



Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor



Midi: Aquela Nuvem  - Gilliard