Ivan Jubert Guimarães

04.04.2019


E lá vou eu juntando
Pedaços de mim,
Catando os cacos desprendidos
Dos pedaços do meu corpo,
Tão maltratado e sofrido.


As dores noturnas
Afastam meu sono,
Mas não a vontade de dormir.
Sinto a morte que se avizinha
Me chamando, mas não quero ir.


O alívio chega com o amanhecer,
Abro a janela
E deixo o sol entrar.
Ele me fortalece
Dando-me forças para andar.


O tempo passa velozmente,
Mas o dia anda muito devagar;
Sem ter o que fazer,
Leio e escrevo bastante,
Minhas únicas formas de prazer.


A solidão é assustadora,
De tão forte que chega a doer,
Mas eu sei que tudo passa,
E faço o jogo do contente
Na esperança de receber uma graça!


Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor
 

 

Esperamos seu carinho no nosso Livro de Visitas