Ivan Jubert Guimarães
19/04/2011


O verdadeiro poeta é místico e doutor
Que acredita nos poderes da magia,
É um mago que sonha viver um amor
Que seja real, nunca uma fantasia.


O mago não crê no canto da sereia,
Pois sabe que sereia não existe
Ele quer a mulher certa que tanto anseia,
E dessa busca ele nunca desiste.


Ser mago não é simplesmente ser feiticeiro,
Feitiços são coisas de índio feitas pelos pajés,
O mago, ele se conhece por inteiro
E sabe bem onde colocar seus pés.


O poeta é aquele sujeito que não é de festa,
Prefere a tranqüilidade de um belo lago,
Onde poderá fazer uma linda seresta,
E convidar sua amada e lhe fazer um afago.


A magia do amor está em fazer tudo direito
Não apenas para com a mulher amada,
Mas com a criação divina, com respeito,
Senão o amor fracassa, não vale nada.


Eu, quando amo, me entrego por inteiro,
E sinto teu amor olhando a magia de teu olhar;
E não importa se meu amor é passageiro
O que vale é a vontade que tenho de te amar!



Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor