Ivan Jubert Guimarães
19/11/20112


Esperando a compreensão do poeta Caetano,
Roubando seus versos, homenageio neste ano
Este Brasil quer canta e é feliz, feliz, feliz.
Um povo acomodado que não se entrega não,
Um povo sofrido com alegria no coração.
Quem critica não sabe o que diz.
Agora com licença de Noel,
Que palpite mais infeliz!
Quanta gente dizendo besteira
E ninguém se lembra
Do Dia da Bandeira
Deste glorioso País,
Que o mestre Ari
Chamou de Brasil brasileiro.
Bilac saldou este lindo pendão
De esperança num hino em qualquer criança
Cantava com muita emoção.
Bandeira que era símbolo de patriotismo,
Carregada com heroísmo
Pelo bravo povo brasileiro,
Hoje é um pedaço de pano colorido
Que se esqueceu da ordem e progresso
Tantas são as mazelas do Congresso.
O futebol cantou:
Verde, amarelo, cor de anil
São as cores do Brasil,
Vencemos o mundo inteiro,
O maior do futebol é o brasileiro.
Do branco todo mundo se esquece;
E do comodismo o brasileiro padece
Não tem heróis a quem louvar,
Se nem o Hino Nacional sabe cantar,
O que se pode dizer da bandeira
De um país que só sabe sonhar
Que se esquece de que é preciso lutar
Para que o povo possa, de fato, ser feliz.
"Sobre a imensa nação brasileira
Nos momentos de paz e de dor
Paira sempre sagrada bandeira,
Pavilhão da justiça e do amor"
Terminando, com a licença de Cazuza:
Mostra tua cara Brasil!
 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor