Ivan Jubert Guimarães
09/08/2007


Ei você! Me dá um minuto só, por favor!
Sabe o que é? Eu não sei onde estou.
Na verdade, eu nem sei quem sou.
Saí para andar por aí
E acho que me perdi!


Não sei como voltar para casa
E nem me lembro se tenho uma.
Alguém deve estar procurando por mim.
É muito ruim se sentir perdido
Sem saber para onde ir.


Talvez eu tenha uma família que me procura,
E eles devem estar sofrendo mais do que eu.
Ajudem eles a me encontrar
Não sei há quanto tempo estou perdido,
Mas eles podem estar cansados de me procurar.


Talvez a essa altura eu já tenha morrido;
Nunca se sabe o que pode acontecer
Com uma pessoa que nem se conhece mais.
Se isso de fato aconteceu, Deus do céu!
Onde será que meu corpo está?


Não tive direito a um funeral decente?
Mas posso estar vivo no meio de toda essa gente!
Porque ninguém olha para mim, nem me reconhece?
Por acaso tenho cara de bandido,
Que culpa eu tenho de ter-me esquecido?


Olha, se por acaso você me ver por aí,
Dá um telefonema, custa quase nada,
Seja lá pra onde for, avise quem me procura.
Você não imagina o que é ter a mente obscura.
Deve ter um número para você ligar.


Minha família nunca iria me abandonar.
Tenho certeza que estão me procurando,
Eu me perdi andando por aí, foi assim.
Não sei onde estou e nem quem sou,
Não me viu em nenhum cartaz, olha de novo pra mim.

 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor