Ivan Jubert Guimarães
12/06/03


Namoradas,
Já tive muitas,
é verdade!
E a cada uma,
de forma diferente,
eu amei.
Mas todas, porém,
com o mesmo
nível de intensidade.
Lembro-me da primeira,
e lembro-me da última também.
Fosse eu fazer, neste instante, uma lista,
de algumas, que me perdoem,
não lembraria sequer o nome,
não que fossem tantas, eu diria,
mas o tempo nos faz perder de vista,
tornando tudo tão distante,
deixa apenas uma saudade
que nos mata e nos consome.
Amei todas que tive,
não tive todas que amei.
Ó destino que traz dissabores,
permita que apenas no dia de hoje,
eu que sempre vivi perdido em amores,
que eu lembre de todos os sabores
dos lábios que um dia beijei.


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor