Ivan Jubert Guimarães
30.12.2006


Eu até que gosto das marcas que o tempo deixou em meu rosto;
Para mim são sinais de que tenho vivido minha vida com gosto.
Uns poucos fios de cabelos brancos dão o charme que faltava,
E mostram que eu sempre estive onde achei que precisava.
 


Não ter jamais fugido à responsabilidade sobre meus erros,
Mesmo que isso tenha provocado meu próprio desterro,
E se isso me trouxe uma depressão e muito sofrimento,
Procurei agüentar o tranco e esperar por um novo alento.
 


Sempre procurei fazer todas as coisas da minha maneira,
Talvez seja este o grande mérito desta longa carreira,
Assumir tudo o que fiz na vida, de certo ou de errado,
Traí, fiz besteiras,assumo o erro e a culpa, não o pecado.
 


Sei que hoje eu pago pelas conseqüências de meus atos,
Quero resgatar todo meu passado de erros, todos os fatos.
Hoje quero viver a vida pensando nos outros antes de mim,
Sei que é muito difícil, mas creiam que pretendo viver assim.
 


Amei muito em minha vida e acho que também fui amado,
Não por todas que amei, infelizmente, mas isso é passado..
Daqui por diante quero amar a todos sem fincar novas raízes.
E morto, ao verem meu coração, que não encontrem cicatrizes.

 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor