Ivan Jubert Guimarães
09/12/2006

 


Ah se eu fosse um astronauta
Ao invés deste internauta pateta.
Também sou um poeta e ao poeta
Imaginação farta é o que não falta.
 


Vem comigo à minha nave espacial;
As paredes todas forradas de espelhos,
Você verá como ela é especial,
Poltronas, todas de veludos vermelhos.
 


É tanto o conforto e a segurança,
Que você vai sentir-se uma rainha;
Crescerá dentro de você a esperança,
E o desejo de tornar-se toda minha.
 


Tua roupa prateada com fios dourados,
Pode até ofuscar o brilho das estrelas.
Mas olhando seus olhos azulados
Nem me atrevo ir à janela para vê-las.
 


Mas ao passar perto do Cruzeiro do Sul
Sentir a mansidão do espaço e aquela calma,
Ouço os acordes do Danúbio Azul,
E algo incrível acontece em minha alma.
 


Um forte desejo se apodera de mim,
De tirar os teus trajes, deixando você nua.
Ser o primeiro homem da Terra a fazer assim:
Fazer amor com você em plena Lua.
 


Alguns insensatos me causarão muita pena
Ao ouvi-los dizer que a Lua é só um monte de areia,
Mas imagine minha querida que linda cena:
Dois amantes se amando no meio da lua cheia.


 


Ivan Jubert Guimarães

 

Direitos reservados ao autor