Ivan Jubert Guimarães
22/07/2010


Era tão grande o amor que eu sentia,
Como nunca pensei sentir um dia;
A paixão que tanto me dominava
Tomando conta de meu ser
Era grande demais e não acabava.
E quando tiveste a chance,
Tu não quiseste conhecer,
As palavras por ti pronunciadas
Deixaram-me atônito,
Pois o amor que sentia
Nunca foi um amor platônico.
Quis dar-te um castelo,
Pois te elegi minha princesa,
Mas entre nós nunca houve um elo,
E isso me causou enorme tristeza.
E os anos se passaram,
E foram mais de quarenta,
Mas meu amor nunca morreu
E solidão assim ninguém agüenta.
Meu consolo é que teu maior amor fui eu.

 


Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor