Ivan Jubert Guimarães
22/07/2010


Sou um poeta entristecido
Que ama, mas não é amado;
O amor que eu sempre tive
Foi um amor transcendental.
Rompeu fronteiras e dimensões
E, por isso, é imortal.
Ah como sofre este poeta,
Cujo amor não é correspondido;
E se eu vivo correndo ao léu,
É porque ando tão desesperado
E ansioso para te encontrar no céu.


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor