Ivan Jubert Guimarães
12.06.1973



Namorados, amantes do mundo:
Neste dia que é seu,
Como são seus todos os dias do ano,
Ao se darem as mãos,
Procurem sentir nos olhos da pessoa amada,
O mesmo amor que demonstram em seus olhos.
Não se importem em receber ou dar presentes;
O melhor presente, aquele que se guarda para sempre,
É um sorriso franco, um abraço forte e um beijo doce.
Quem lhes fala é um homem casado
Que inda hoje namora sua esposa.
Quando se ama, mas quando se ama de verdade mesmo,
De nada importa um bem material.
Portanto, namorados, dêem-se as mãos;
Façam deste dia, realmente, um dia especial,
Não apenas comercial ou de interesses particulares.
Agindo assim, não haverá motivos para preocupações como:
“O que será que eu compro?” ou
“Hoje é dia dos namorados e estou sem dinheiro”, etc.
Namorado: ame, proteja e respeite sua namorada,
Dedique-se e ela o amará sempre,
E será mãe de seus filhos,
Aqueles molequinhos que irão continuar tudo aquilo que você começou.
Namorada: ame e respeite seu namorado,
Dedique-se e ele fará de você sua esposa,
A companheira de seus dias.
Namorados, amantes de mundo:
Amem-se, hoje, mais do que nunca;
... E que o calor das fogueiras de junho,
Aqueça os frios corações daqueles que não têm amor para dar.

 

 

Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor