Capitulo 22
 
A volta de Ambrósio
 
 
Marilena acordou em sua cama, e sua primeira visão foi Aníbal, um dos filhos menos importantes, daqueles que só fazem figuração na trama.
 
- Anibal... Que sonho horrível... Pensei que seu pai...
- Não foi um sonho, mamãe. Ele voltou! A mulher gritou em total desespero:
- Não pode ser! Não pode ser!
 
O filho estranhou a reação. Alheio aos problemas que infernizavam a vida de Marilena, Adenair e Jeitosinha, sem saber que Ambrósio era a causa de muito sofrimento, esperava da mãe uma manifestação de alegria.
 
- Mãe... Você não entende? O papai voltou! Meio caidaço, é verdade, mas está vivo! Você deveria estar feliz! A mulher esboçou um sorriso forçado:
-Sim, meu amor! Claro! Foi só o susto... Claro que estou feliz...
 
Neste instante, já de banhozinho tomado e vestindo um velho e confortável pijama, Ambrósio entra no quarto.
 
- Marilena...
- É você mesmo, Ambrósio? - perguntou a mulher.
- Estou tão deformado assim? Claro que sou eu!
 
Ambrósio não tinha na voz a rispidez habitual. Parecia fragilizado. Sua fala era pastosa. Um canto da boca não se mexia e um fio permanente de baba escorria rumo ao pescoço.
 
- O que aconteceu com você?
- Não me lembro. Não consigo me lembrar de muita coisa. Vaguei pelas redondezas e aos poucos as memórias foram voltando... Nossa casa, você, nossos filhos...
- E sobre o acidente que o mutilou?
- Nada. Não me lembro de nada. Só vejo uma cena estranha... Assustadora e irreal. Não quero falar sobre isso.
 
Os olhos do homem transmitiam o pavor que lhe causava a simples menção da cena. E a imagem que vinha à sua cabeça era a do travesti, loiro e nu, empunhando uma serra elétrica.
 
No hospital público, Adenair acordava da anestesia.
 
- C-como foi a cirurgia, doutor? - perguntou ao homem de branco parado ao seu lado.
- Foi bem. Não consegui fazer um acabamento muito bom. Sabe como é,  cirurgia plástica é uma coisa complicada... Mas eu mesmo já vi muita "periquita" mais feia por aí! He...He...- o médico amigo de Dona Nair insistia em seu humor infame.
 
- Meu biláu, doutor... O que vocês fizeram com ele? Mesmo detestando o que ele considerava um corpo estranho, Adenair sabia que era um pedaço seu que havia sido estirpado. E lhe assustava a idéia de que ele pudesse ter ido parar numa cesta de lixo hospitalar...
 
- Fizemos um transplante. Ele agora pertence a um marombeiro adepto do sexo bizarro, que perdeu o dele quando recebia carinhos orais de um pitt-bull...
 
- Melhor assim! - Animou-se Adenair - quando recebo alta?
 
- Amanhã, se tudo correr bem. ""Vai dar tudo certo"" pensou o - ou melhor - a jovem. Vou virar uma linda mulher, como Jeitosinha, e conquistar o coração de Bruno!
 
No seu apartamento, Bruno ainda olhava fixamente a arma.
 
Sentia-se ultrajado, perdido, confuso e traído. Mas não conseguia evitar que a imagem de sua loira amada lhe viesse à cabeça. ""Onde ela estará agora?"", perguntava-se.
 
Mal sabia ele que Jeitosinha, naquele momento, abria a porta de entrada de sua casa para estar frente a frente com o pai que matara!

Qual será a reação de Ambrósio?
 
Empolgante! Sensual! Nojenta! A sua novela continua  amanhã, em mais um capítulo inédito..." Eu não perderia esse capítulo por nada nesse mundo ..."