Capitulo 2

A FARSA
 
 
Não foi difícil esconder do pai da criança a verdade sobre Jeitosinha.
Ambrosio era um homem conservador e moralista, embora seus atos não correspondessem a disciplina rigorosa que impunha aos filhos e a esposa. Por esta razão, ninguém estranhou que desde muito cedo a caçula tenha sido criada em total isolamento em relação aos seis irmãos, sob o olhar
atento de Marilena.
 
Para Ambrosio e os vizinhos, a intenção da mãe era preservar a honra e inocência da filha. A menina era o tesouro de seu pai. Sem contato intimo com outras crianças, a própria Jeitosinha cresceu desconhecendo sua real condição de travesti. Os traços finos da criança colaboravam, e quando a adolescência chegou, Marilena passou a misturar hormônios femininos ao Biotônico Fontoura que dava diariamente a menina, com resultados surpreendentes.
 
Aos 20 anos, Jeitosinha era não apenas uma mulher, mas a mulher mais bonita do bairro. Foram raros os incidentes que ameaçaram revelar o segredo de Marilena. O mais grave aconteceu quando a menina tinha 15 anos.
Era uma tarde de Domingo quando Arlindo, o irmão mais velho, entrou na sala gritando:
 
- Eu vi a Jeitosinha fazendo xixi em pé! Eu vi a jeitosinha fazendo xixi em pé!

Com presença de espírito, antes mesmo que Ambrosio raciocinasse sobre a frase, Marilena deu um safanão no rapazote:
- Espiando sua irmã no banheiro, não é, safado?
Diante da possibilidade de que a intimidade inocente de sua filhinha tivesse sido violada, Ambrosio deu uma surra de cinto no pobre Arlindo.
Só depois de muitas chibatadas é que foi cair a ficha:
 
- Perai, moleque. Você disse que viu sua irmã mijando em pé? Que historia é essa?
 
Mas quando Arlindo saiu do coma, uma semana depois, o pai já nem se lembrava mais da pergunta formulada segundos antes dele perder os sentidos.
Para Ambrosio, tratava-se apenas de uma brincadeira do jocoso Arlindo.
Aqueles foram dias difíceis para MaO capitulo de hoje está demais.... Não percam!
 

Confira no próximo capitulo!