Capítulo IV 
 
 
A Revelação
 
 
Adenaíra dormia profundamente e, em outro aposento, os ETs discutiam sobre ela:
- Mas o que acontece com vocês? Ainda estão em dúvida se ela servirá a nossos propósitos?
 
- Não sei comandante, ela tem algo diferente. A outra mulher que
 pegamos tinha órgãos genitais masculinos, mas tinha seios, esta não tem. Em contrapartida ela apresenta parte de órgãos masculinos, ela tem testículos.
 
- Vai ver que na Terra todas as mulheres são assim.
 
- Só saberemos disso depois de testá-la. Quem vai ser o primeiro?
 
Como há muito tempo não ficavam com uma mulher, pelo modo
tradicional, todos levantaram a mão. O comandante, então, propôs um sorteio, aquele que tirasse o maior dos palitinhos seria o primeiro e assim por diante. Todos concordaram, mas ninguém tinha palitinhos. Decidiram, então, que quem tivesse o maior órgão genital seria o primeiro. O comandante ficou por último.
 
O mais bem dotado (aqui cabe uma explicação): no planeta de onde
vieram todos os seres de sexo masculino tinham órgãos minúsculos, pois todos tinham os membros atrofiados pela falta de uso, já que praticavam sexo apenas com as palmas das mãos. Não, não era masturbação. Duas pessoas, não importava o sexo, davam-se as palmas das mãos e sentiam o pulsar uma da outra. Isso provocava uma reação química no corpo que causava um prazer muito grande, enfim, um grande orgasmo.
 
 O ET vencedor dirigiu-se ao aposento onde se encontrava Adenaíra e explicou-lhe o problema que todos enfrentavam em seu planeta. A prática do sexo com o uso apenas das palmas das mãos estava impedindo que a população crescesse e as mulheres do planeta não queriam mais saber do sexo convencional, muitas até nunca havia praticado. - Coisa antiga, diziam.
 
 Adenaíra ficou assustada a princípio, mas relaxou em seguida, afinal de contas era uma ótima oportunidade de estrear seu novo sexo, só não imaginava que seria com um ET.
 
 Não houve preliminares, afinal o ET estava pronto e Adenaíra, como de hábito, deitou-se de bruços e o ET ficou sem saber o que fazer. Já tinha ouvido que na Terra havia várias modalidades de sexo, mas nunca havia praticado nenhuma além da tradicional, com as mãos.
 
 Adenaíra percebeu a mancada que dera e virou-se de frente para o ET que admirava aquele corpo sem muito entusiasmo, mas missão era missão e foi, então, para o sacrifício.
 Adenaíra estava exultante com sua excitação feminina e deixou-se levar pelo amante extraterrestre.
 
 Assim que terminou, o ET levantou-se e saiu do aposento enquanto Adenaíra pensava: "homens, todos iguais".
 
 A porta tornou a abrir e outro ET entrou e foi-se aproximando de Adenaíra que já foi se aprontando e pensando: "é hoje!".
 
 Chegou a vez de um ET novinho que nunca tinha visto uma mulher antes. Parecia ser virgem, inclusive nas mãos, e Adenaíra sentindo saudade dos velhos tempos, virou-se de bruços. O jovem não perdeu tempo e levou Adenaíra a ter espasmos de prazer.
 
 Quando chegou a vez do comandante, Adenaíra estava exausta e acabou dormindo enquanto o ET fazia sua parte. O comandante saiu do aposento cabisbaixo e encontrou-se com os outros e foi logo dizendo:
 - Agora vamos esperar e ver se ela engravida. Daqui a três dias faremos um exame nela e depois verificaremos de quem é a criança, se bem que isso é irrelevante, já que somos todos irmãos.
 
 Enquanto isso Adenaíra jazia em sua maca em um sono profundo, satisfeita com sua nova condição de mulher.
 
 Que novas experiências aguardam Adenaíra?
 
 Não percam o próximo capítulo de A Volta dos ETs!