Capítulo  XV
 
 
Missão Cumprida
 
 
 - Comandante, comandante, precisamos voltar.
 
 - Por que você acha que temos que voltar? O que aconteceu?
 
 - Esquecemos Adenaíra comandante. E logo eu que disse que jamais a esqueceria. Esquecemo-nos de deixa-la em Terra. Precisamos voltar!
 
 - Acho que a convivência com ela também deixou você maluco. Sabe que não podemos voltar agora. Já programamos a nave e não há jeito de voltar.
 
 - Mas o senhor prometeu comandante, eu prometi. Ela nem queria partir, preferia ficar aqui, por causa de sua aparência.
 
 - Antes eu até concordaria com você K7, mas agora com todas essas beldades a bordo, não quero mais ver Adenaíra nunca mais. Vamos ejetá-la.
 
 - O Senhor não pode fazer isso meu comandante. É cruel. Durante um tempo até que ela serviu a nossos propósitos, nos deu prazer. Acho que devemos isso a ela.
 
 - Está bem K7, vou dar um jeito nisso em consideração a você. Como não podemos voltar, vou baixar a nave e deixa-la em algum lugar de terra firme. Só que já estamos voando e já nos afastamos um pouco de São Paulo. Ela poderá ir para São Paulo quando conseguir algum dinheiro. Vou procurar pelo visor um local ermo e sossegado para deixá-la.
 
 - Obrigado meu comandante, vou busca-la.
 
 K7 dirige-se ao aposento de Adenaíra, desamarra-a e tira-lhe a mordaça. Explica que a nave já partiu, mas o comandante fará um pouso para deixa-la em terra.
 
 - Puxa vida! Eu queria tanto ficar aqui com vocês!
 
 - Mas o comandante não quer mais você a bordo. Aliás, você criou muitos problemas para ele, tá certo que bem menores do que aquela Jeitosinha que pegamos uma vez!
 
 - Jeitosinha? Vocês pegaram a Jeitosinha? Vocês sabem que é Jeitosinha?
 
 - Sabemos sim, nós a pegamos antes de você e ela achou que iríamos invadir a Terra e começou a maior bagunça por aqui. Também havíamos pegado um homem morto e o ressuscitamos.
 
 - Vocês não sabem nada, nada de nada. E eu que pensava que os extraterrestres eram superiores. O homem morto que vocês pegaram era meu pai. Jeitosinha o tinha matado, e vocês o devolveram como um monstro.
 
 - Não sabíamos que era seu pai, queríamos estudar o corpo de um humano.
 
 - Estudaram, estudaram e não aprenderam nada seus paspalhos! Veja o que vocês fizeram comigo. Conseguiram me deixar parecida com vocês.
 
 - Eu fiz você como eu desejava, agora reconheço que errei. Desculpe.
 
 - Desculpas, desculpas, vocês homens de qualquer planeta são todos iguais. E vou te contar um segredo: Jeitosinha era meu irmão e se casou com o homem da minha vida. Eu também era homem!
 
 -Não posso acreditar nisso. É terrível demais para mim. Você era um homem?
 
 - Era, ou sou ainda, sei lá. Vocês são idiotas mesmo. Queriam mulheres e só pegaram três homens. Manda parar essa droga que eu quero mesmo descer. Vamos rápido.
 
 K7 revelou ao comandante o que Adenaíra acabara de lhe contar e o comandante mandou que baixassem a nave e abrissem a portinhola para deixa-la em terra. Na verdade, ele queria soltá-la no espaço. Com esse alvoroço todo, ninguém percebeu o que as mulheres estavam planejando.
 
 O disco ia baixando e as mulheres já estavam enfastiadas com a viagem e o medo começava a tomar conta delas, já começavam a pensar que seriam abduzidas e resolveram sair também da nave. No chão do salão principal havia uma abertura por onde Adenaíra seria deixada em terra. Como a nave seguia ao rés do chão, as mulheres se dirigiram para lá. O que elas não sabiam é que pela abertura da nave havia um força de sucção muito forte e, à medida que se aproximaram suas roupas foram sugadas  e elas ficaram completamente nuas. As ricaças sentiram falta de seus vestidos caros, mas as do Big Brother, mais acostumadas a ficarem nuas na televisão e em capas de revista, nem ligaram. E assim, saltaram uma a uma na estradinha que conduzia à pequena cidade de Camanducaia.
 
 Na cidade de Camanducaia o movimento foi muito grande. Homens e Mulheres saíram às ruas para ver todas aquelas mulheres nuas. Na rádio da cidade, Rádio Camanducaia, o locutor Alberto Roberto, desesperado, relembrava de um fato ocorrido anos atrás e iniciou, de imediato, uma nova campanha: "Visitem Camanducaia, mas venham vestidos, pelo amor de Deus".
 
A nave continuava voando baixo e um dos tripulantes, o Kfajeste, entrou no salão central, completamente vazio e empurrou Adenaíra para fora da nave.
 
 A altura não era grande, mas ela gritou mesmo assim. E foi assim que nasceu o ET de Varginha.
 
 
 
FIM