Ivan Jubert Guimarães

 

21/12/2012

 

 

 


Quando eu era criança meu pai tocava um disco para a família, sempre na véspera do natal. Era uma história muito linda que vinha narrada em dois discos de 78 rotações, no tamanho de LPs e acondicionados em um lindo álbum colorido com imagens maravilhosas.

Eu me lembro de que ficamos sentados no chão, todos reunidos ao lado da vitrola e ficávamos encantados com a beleza da história e só depois íamos cear e abrir os presentes.

O tempo se encarregou de sumir com os discos e por mais que eu tentasse durante muitos anos encontrar outros foi em vão. A tecnologia avançou muito e confesso que já me cansei de procurar pela internet, mas também, não tive sucesso.

Não me lembro bem da história, mas lembro dos dois personagens. Então resolvi escrever as poucas coisas que ficaram na memória e adaptando-as para ter uma história completa. É a história de Papai Noel e Pai João.

“Era véspera de Natal e Papai Noel já tinha carregado o trenó com os presentes que iria distribuir para as crianças.”

“A viagem teve início e depois de estar em diversos lugares, Papai Noel chegou a um lugar muito escuro no interior brasileiro. As renas já estavam bem cansadas de puxar o trenó e foram perdendo altura até que Papai Noel perdeu o controle do trenó e bateu no alto de uma árvore e todos caíram ao chão e os presentes ficaram esparramados pelo solo escuro.”

“Papai Noel não sabia o que fazer, as renas haviam se soltado também e poderiam se perder na escuridão daquele lugar. Felizmente ninguém se machucou e Papai Noel foi desvirar o trenó e percebeu que uma das partes havia se quebrado e ficaria difícil pousar em qualquer lugar.”

“A escuridão era tanta que Papai Noel não conseguia ver todos os presentes espalhados pelo chão e nem mesmo viu o homem que se aproximava caminhando bem devagar pela mata, o que provocou um susto em Papai Noel.”

“O homem aproximou-se apoiado em um cajado e ao se deparar com aquela cena perguntou:

- Quem é você?

- Eu sou Papai Noel e vim para cá distribuir os presentes para as crianças deste lugar.

- Olha aqui seu “moço”, eu vivo por estas bandas há muito tempo e nunca ouvi falar em você.

- É que eu só apareço na véspera do Natal.

- Como eu disse, vivo aqui muito tempo e nunca vi você por aqui.

- Como é o seu nome bom homem?

- Eu me chamo João, algumas pessoas costumam me chamar de Pai João.

- E o que é que você faz Pai João? Tem muitos filhos?

- Num tenho não! Nunca me casei. Me chamam de Pai João só porque eu gosto de ajudar as pessoas.

- Você parece ser um bom homem Pai João e acho estranho que você nunca tenha ouvido falar de mim. Acho que é porque nunca acreditou na minha existência.

- Quando eu era criança eu acreditava sim, colocava meu sapato na janela e no dia seguinte eu corria para ver se tinha algum presente e não achava nem o meu sapato. Como eu podia continuar acreditando?

- Infelizmente os homens fazem estas coisas, mas é preciso ter fé e acreditar nas coisas boas, Pai João. E você pode começar agora. Quer me ajudar a consertar o trenó e recuperar os presentes e localizar as renas?

- Vou ajudar sim Papai Noel.

- Podemos começar?

E assim Papai Noel e Pai João começaram a procurar os presentes até que Papai Noel disse que já tinham recuperado todos. E, então, começaram a procurar pelas renas. Pai João, com sua experiência de matuto, logo conseguiu reunir todas elas. Mas ainda restava um problema, arrumar o trenó e Papai Noel não tinha ferramentas. Pai João se ofereceu para consertar o trenó e foi à busca das ferramentas necessárias.

Depois de buscar as ferramentas em sua casa, Pai João fez os reparos necessários no trenó e ajudou Papai Noel a colocar todos os presentes dentro dele. Em seguida, Pai João e Papai Noel atrelaram as renas ao trenó.

Papai Noel toma as rédeas do trenó e imediatamente Pai João começa a ouvir sinos tocando e então pergunta a Pai João:

- Você quer algum presente meu amigo?

- Eu já ganhei o meu presente Papai Noel, agora eu tenho fé!

- Feliz Natal Pai João!

- Adeus Papai Noel!

- Adeus Pai João!

E o trenó começa a se elevar e os sinos tocam bastante e Pai João é um novo homem.

 

 

Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor

 

 

 

Midi: Jingle Bells - instrumental