Como Todos Deveriam Ser
Ivan Jubert Guimarães
14/12/2006

 


Aqui em casa a árvore de Natal já está montada e ela nunca pareceu tão linda como neste ano. Novos enfeites e muitas luzes. Mas a celebração deste ano será diferente dos anos anteriores, será muito mais íntima e espiritual como jamais foi.
Apesar da beleza da árvore, decidimos que neste ano não haverá presentes embaixo dela como em todos os anos anteriores. O presente maior será nosso convidado especial que, devido sua origem humilde, poderá sentir-se constrangido com a opulência de uma árvore cheia de presentes,
Ninguém está esperando por Papai Noel e seus presentes. Nossa ceia será a mais simples de todos os tempos, sem assados, sem maioneses, sem champanhas e sem doces. A mesa não será farta como em anos anteriores, obrigando-nos a comer de tudo durante a semana seguinte. Não haverá sobras e, com certeza, ninguém sairá da mesa com fome.
Será uma festa de aniversário simples e o aniversariante será nosso convidado especial. Afinal, ele sempre dizia que onde e quando houvesse duas ou mais pessoas reunidas em seu nome, lá ele estaria. Então ele virá, com certeza!
E com Jesus Cristo presente em nossa mesa ninguém iria ligar para abrir presentes, pois o maior presente estará dentro de nossos corações. Apesar de a Ultima Ceia ter acontecido na Páscoa, o cardápio que serviremos ao nosso convidado será o mesmo e ninguém sentira fome, pois tudo será compartilhado: o pão, o vinho e as frutas.
Iluminaremos a sala apenas com a luz de velas, incensos de mirra perfumarão o ambiente e recitaremos palavras proferidas por nosso convidado.
Minha mulher e eu já tivemos natais parecidos com este, mas nunca organizamos um em nossa casa. Cristo esteve comigo muitas vezes neste ano, trazendo-me a cura para tantas doenças que arrumei. E é por isso que eu sei que ele estará presente em minha casa na noite de véspera de Natal.
Sei que ele não virá de graça também, ele, com certeza, exigirá que eu pratique pelo menos um pouco do muito que ele já nos ensinou, mas vocês já imaginaram como será ouvir de sua própria boca palavras tão lindas?
Chegou a hora de eu retribuir o muito que já recebi dele. Ele virá, pois nunca recusou um convite antes. E tenho a certeza absoluta de que este será o melhor Natal de toda a minha vida!
E agora, com meu coração cheio de amor e esperança, eu digo com o peito aberto que desejo a você um Natal repleto de bondade e de paz e, se ainda der tempo, convide Jesus, o Cristo para sua festa. Com certeza ele irá!
 

 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor