Ivan Jubert Guimarães
25.07.2006
 


Nunca vi um casal que tanto se amasse
Quem não viu é possível que não acreditasse.
Era um falar do outro com muito carinho.
Era andar seguindo um mesmo caminho.
 


Não sei se formaram um casal perfeito,
Afinal, todos temos cada um o seu jeito;
Mas bastava olhar para qualquer lado,
E lá estavam eles de braços dados.
 


Aracy e José não eram um casal qualquer;
Juntos eram apenas um homem e uma mulher.
Ela foi uma estrela que nunca perdeu seu brilho,
Ele foi seguidor da estrela sem nunca sair do trilho.
 


Vê-los juntos era um derreter de corações duros,
Seus olhares iluminavam os caminhos escuros,
Mas a morte que foi chegando despercebida.
Levou Aracy de maneira calma e adormecida.
 


Missão cumprida numa história de amor,
José ficou para expulsar toda sua dor.
E somente com a permissão para a partida,
Foi que ele partiu e despediu-se da vida.
 


Agora, sem eles, tudo virou apenas uma história,
Mas será difícil tirar a lembrança de minha memória,
Quando olho os dois abraçados com sorrisos francos,
E vejo um grande amor num casal de cabelos brancos.
 

 


Ivan Jubert Guimarães
Direitos reservados ao autor