Ivan Jubert Guimarães
10/12/94



Foi ele quem tornou o Rio uma cidade maravilhosa,
De sua janela vê-se o Corcovado, o Redentor, que lindo!
Cada morro, cada praia, cada planta um poema,
Sabia que amaria todas as mulheres,
Mas nenhuma tão amada como a garota de Ipanema.

Foi ele quem melhor definiu a felicidade
Como sendo uma gota de orvalho numa pétala de flor,
Foi ele quem disse que quem nunca amou não merece ser amado.
Culpava seu coração que não tinha cuidado
Pela insensatez da perda de um grande amor.

Aquele amor sempre tão bem cantado,
Desafinado, mas com intensa emoção,
Numa tristeza que não tinha fim.
Nunca se ouviu tanto a voz do coração,
Como nas canções de Antonio Carlos Jobim.


Para se homenagear um grande poeta
Os versos deste poema foram emprestados
Pois que tudo já foi dito, nada mais me resta.
Assim, nada melhor que seus próprios versos
Porque tudo o mais que se escreva não presta.



Ivan Jubert Guimarães
Direitos reservados ao autor