Ivan Jubert Guimarães
 

 


Hoje eu vi uma estrela;
E havia algo de familiar nela.
Mesmo sendo dia claro, eu podia vê-la.
Meu Deus, como era bela!
 


Movia-se, dançando e pedindo passagem;
O céu, num repente, ficou muito bonito.
Tentei fazer contato, mandar-lhe uma mensagem,
Mas qual, velozmente ela perdeu-se no infinito.
 


O sol escureceu, tornou-se sombra;
Uma voz se fez ouvir,(parecia feliz);
Pude reconhecê-la (meu corpo quase tomba),
Ela que sempre foi uma estrela: Elis.

 


Ivan Jubert Guimarães
Direitos reservados ao autor