Ivan Jubert Guimarães

11/02/2019

 

 


Eis que de repente, não mais do que de repente, um helicóptero cai em plena Rodovia Anhanguera matando seus dois ocupantes. Já estava bem próximo de São Paulo, talvez se dirigindo para a sede da TV Bandeirantes, onde o jornalista Ricardo Boechat comandaria o jornal da Band de hoje à noite.

Há muitos anos acompanho a trajetória desse conceituado jornalista. Até há pouco tempo, quando ainda eu dirigia, costuma ouvi-lo na Band News todas as manhãs e me divertia com suas risadas quando ele ria das piadas de José Simão. Mas Boechat foi um dos jornalistas mais sérios que conheci. Como âncora de telejornal sempre manteve uma conduta séria e profissional. Há poucos dias foi interrompido por sua equipe e mandou ver uma bronca ao vivo, já que ele dava a notícia do incêndio no CT do Flamengo no Rio de Janeiro.

Nos debates políticos que a Band apresentava, Boechat era de uma lisura ímpar, mantendo sua postura imparcial não pendendo para nenhum candidato.

É triste ver que hoje quando temos uma imprensa parcial onde seus âncoras costumam apenas a ler as notícias, perdemos o melhor âncora da TV brasileira em muitos anos.

A seriedade de seu rosto era muitas vezes transformada em largo sorriso. Sua morte abre uma lacuna no jornalismo da televisão e do rádio brasileiros. Lembro-me de Alexandre Kadunc jornalista também da Rádio Bandeirantes que criou os Titulares da Notícia.

Está certo que ninguém é insubstituível, mas são poucos os verdadeiros titulares. Boechat foi um deles.


Hoje foi o dia em que o jornalista virou notícia!



Ivan Jubert Guimarães

Direitos reservados ao autor