Ivan Jubert Guimarães
23.07.2006
 


Para mim, Gianfrancesco Guarnieri sempre foi o baluarte do teatro brasileiro.
Nasceu italiano, mas adotou o Brasil como Pátria e aqui se destacou como um dos maiores nomes das artes cênicas do País, como autor, ator de cinema, teatro e televisão e também como compositor.

Quem teve o privilégio de vê-lo em cena, jamais se esquecerá de seu desempenho sempre fantástico. Personagens criados por ele, eram por ele mesmo interpretados.

É mais um nome forte que se foi, e fico imaginando o que estará acontecendo lá no céu neste momento.

Em Arena conta Zumbi foi parceiro de Edu Lobo na música que ficaria consagrada na voz de Elis Regina, Upa Neguinho. E na música, também foi parceiro de Toquinho. É necessário dizer mais alguma coisa? Quem tem talento está sempre rodeado de gente talentosa.

Mas o congraçamento definitivo viria com a peça "Eles Não Usam Black-Tie" que anos mais tarde ele tornaria a interpretar no cinema, trocando de papel, agora fazendo o papel de pai ao invés do filho que fazia na peça. Foi um filme premiado internacionalmente, e este prêmio impossibilitou que a censura brasileira impedisse o filme de ser passado aqui no Brasil, na época da ditadura. A peça original foi montada no final da década de 50, antes do Golpe Militar, portanto.

Guarnieri vai juntar-se com outros grandes nomes que partiram antes dele e ficará para sempre na memória daqueles que sempre admiraram sua arte. E já não preciso mais imaginar, deve estar havendo uma grande festa no céu neste momento.
 


Ivan Jubert Guimarães
Direitos reservados ao autor