Ivan Jubert Guimarães
23/03/2012

 

 

 

 

O programa chamava-se Chico Anísio Show e ia ao ar nas noites de domingo no auge da TV Record. Foi um dos primeiros programas da televisão brasileira a usar com maestria os recursos do vídeotape.


A mudança de quadros era rápida e envolvente e mal dava para respirar, pois os personagens, muitos já naquela época, se revezavam na tela com incrível rapidez.


Chico Anísio era como se fosse um canal de televisão dentro da própria televisão. Um número incontável de artistas fazia parte de seu show, além dos figurantes.


Depois de um desfile de quadros bem humorados, o programa se encaminhava para o final. Era o “Grand Finale” quando aparecia o quadro mais esperado da noite. Era quando entrava em cena o Coronel Limoeiro e sua linda esposa Maria Teresa. O quadro sempre terminava com a esposa saindo brava de cena e o Coronel Limoeiro a chamando, gritando seu nome e finalizando com o bordão: “Esse bicho me ama!”


Muitos outros personagens foram nascendo e crescendo no programa. Nesta altura, Chico já estava em outra emissora que criou até uma cidade para seu programa. Tratava-se da cidade de Chico City. E foi nesta cidade que surgiu o político Justo Veríssimo, figura marcante do programa.


Foram mais de cem personagens criados por Chico Anísio, mas nenhum deles marcou tanto quanto o Professor Raimundo que mereceu seu próprio programa que ficou no ar por bastante tempo.


Foi na Escolinha do Professor Raimundo que Chico pode mostrar todo seu lado humano, servindo de escada para novos talentos, como dando a oportunidade para antigos comediantes voltarem a trabalhar em televisão. Quis o destino que muitos deles falecessem durante o período em que a escolinha esteve no ar E, em cada vez que isso acontecia, Chico sempre prestava uma homenagem ao companheiro que tinha partido.


O Professor Raimundo abraçou a causa dos professores que ganham pouco neste país e terminava o quadro com seu mais conhecido bordão: “E o salário ó”.


Pode ser que muitos esperassem por sua morte dado seu grave estado de saúde, mas assim que a notícia chegou apareceram diversas charges em sua homenagem. É pouco ainda. A televisão irá homenageá-lo com especiais e por algum tempo muitos irão falar dele.


Para mim, um dos personagens mais queridos foi o Profeta cujas palavras não eram engraçadas, mas cheias de vida e de esperança.


Chico se foi após meses de sofrimento internado em um hospital, ele que fez tanta gente rir por décadas, está agora rodeado por lágrimas de todo um país.


É mentira Terta?
 


Ivan Jubert Guimarães


Direitos reservados ao autor