Ivan Jubert Guimarães
02/07/2011

 

 

 

 Em 1992 o Brasil sequer possuía uma moeda. Nossa moeda era apenas um indexador chamado de Bônus do Tesouro Nacional ou BTN, afinal somos o país das siglas.

Com a renúncia forçada de Collor, assume a presidência um ex-senador da República chamado Itamar Franco. Havia muitas desconfianças sobre o que iria acontecer no país. Itamar era um senador que havia adquirido um respeito grande devido aos seus pronunciamentos no Senado Federal. E só.

Todos se referiam a ele como um mineiro, que na verdade foi por adoção, embora tenha nascido na Bahia. Mas isso foi um acidente de percurso. Itamar era um mineiro, um mineiro bem porreta.

Na verdade, ele foi o pai do Plano Real, elaborado por Fernando Henrique Cardoso, então ministro da fazenda de seu governo.

A voz popular sempre disse que mineiro é aquele que come quieto e foi numa foto tirada em um desfile de escolas de samba do Rio de Janeiro, que uma modelo (?) apareceu a seu lado sem a calcinha. Isso lhe tirou pontos na época em que tentou sua reeleição, perdendo sua candidatura para Fernando Henrique Cardoso.

O que vale dizer sobre o homem e o político Itamar é que nunca teve sua imagem por escândalos. Era um homem simples, corajoso em seus pronunciamentos, afinal não é qualquer um que ataca Sarney em pleno Senado.

Itamar tinha topete, nos dois sentidos, e não é porque morreu que o estou defendendo. Não gosto e nunca gostei de políticos, mas sei reconhecer que uns poucos se preocupam com o povo e creio que Itamar era uma deles.

Quando assumiu o governo, substituindo Collor, tínhamos uma inflação que beirava de 4 a 4,5% ao dia e de repente a inflação passou para 2 ou 3% ao ano. Por si só, isso valeria a Itamar Franco uma medalha. Mas neste país dá-se medalha a qualquer um e tenho certeza de que Itamar, caso recebesse, a jogaria fora.

Este homem, baiano de Juiz de Fora, vai deixar saudades. Claro que muitos nem sentirão sua falta, talvez até mesmo em Juiz de Fora. Mas eu, como brasileiro, vou sentir falta de seus discursos, às vezes, inflamados em defesa da Constituição.

Em toda minha vida, respeitei muito o Deputado Ulisses Guimarães e também o Senador Itamar Franco.

Que a alma de Itamar descanse em paz e que a cidade de Juiz de Fora saiba reconhecer seu filho como um grande homem.
 

 

Ivan Jubert Guimarães

 

Direitos reservados ao autor