Paródia de Ponteio (Edu Lobo)
Ivan Jubert Guimarães
11/12/2015
 


Era um, era dois, era cem
Todo mundo roubando e ninguém
Que soubesse que sou brasileiro
Que devolvesse então o dinheiro.

Era um, era dois, era cem
Se elegeram só pra roubar
Ei você, de onde vai, de onde vem?
Conta logo a quem veio roubar.

Parado como todo mundo
Senti acabar meu alento
Olhei pro mundo e não via
Nem grana, nem obra, nem vento...

Quem me dera agora
Eu tivesse o dinheiro
Pra contar
Dinheiro
(bis 4 vezes)
Pra contar!

Era um dia, era claro
Sem receio
Era um grupo fechado
No rateio
Roubalheira, propina,
Bandoleiro.
Era grana roubada
País inteiro.

Era um dia, era claro
Sem receio
Tinha um que jurou
Dedurar
Eu me lembro da cena
Sem receio
Só sabia continuaria a roubar.

Destruíram o país para o mundo
Mas fui muito fundo resgatar
Se eu tomo o poder
Sem receio
Meu Brasil não pode parar
Não!
Quem me dera agora
Eu tivesse o dinheiro
Pra contar
Pra contar!
(bis 4 vezes)
Dinheiro!

Era um, era dois, era cem
Era um dia, era claro
Sem receio
Parar de roubar já convém
Acabando com todo rateio
Certo dia que sei
Com dinheiro
Eu espero não vá demorar
Esse dia estou certo que vem
Digo logo o que vim pra buscar.

Investigando cada vez mais fundo
Não deixo mais ninguém me roubar
Vou ver o tempo mudado
E um novo lugar pra morar.

Quem me dera agora
Eu tivesse dinheiro
Pra contar
Dinheiro
(bis 4 vezes)

Lá, laia, laia, laia
Lá, laia, laia, laia
Lá, laia, laia, laia

Quem me dera agora
Eu tivesse dinheiro
Pra contar!
Dinheiro!
(bis 4 vezes)

Quem me dera agora
Eu tivesse dinheiro
Pra contar!
 

 

Ivan Jubert Guimarães

 

Direitos reservados ao autor

 

 

Midi: Ponteio - Sivuca